30 agosto 2008

Bauru e engenheiro que virou sanduíche




Sou paulistana da Zona Norte, mas foi em Bauru que eu virei jornalista, experimentei pela primeira vez o trabalho em redação, vivi aventuras e amores. Hoje eu tenho na cidade-sanduíche um monte de amigos e até um apê. Ok, na planta ainda, mas eu tenho oras! Por isso às vezes fico mais lá do que aqui. Mesmo assim eu não conhecia o Bauru Chic inaugurado em 2004.

Fui lá semana passada, levada por alguém que sabe o que eu gosto e tinha certeza de que eu adoraria o lugar. Parafraseando o nome do filme de João Batista de Andrade, ali o engenheiro não virou suco, mas sanduíche. Ex-professor de engenharia da Unesp (onde eu estudei!) José Egberto Cavariani abriu esta simpática lanchonete quatro anos atrás para ser um cantinho de curtição da cidade. Fotos de bauruense que ficou famoso e até o escudo do Noroeste estão nas paredes de tijolinho, o atendimento é gentil e eficiente, mas o melhor mesmo é o cuidado com o bauru em sua versão original, que leva rosbife, queijo fundido, tomate e pepino no pão francês. A toalha americana das mesas registra em quatro idiomas a origem da receita.

Depois fiquei sabendo que o Conselho Municipal de Turismo de Bauru inventou um selo para preservar a receita original e o Bauru Chic recebeu o seu quinze dias atrás. Os outros cinco lugares certificados são o Lanches Skinão (o sanduba ali é bom, mas o atendimento sempre me decepciona) e o Bar Aeroporto, também em Bauru, e as três unidades paulistanas do Ponto Chic, onde Casimiro Pinto Neto, que era bauruense, inventou o sanduíche.

Agora, depois do Ponto Chic, este é meu segundo lugar preferido para comer o bauru de verdade. Pão crocante, rosbife na espessura certa, queijo no ponto...hummm. O único problema é que estava tão bom que não me lembrei de fazer a foto para o blog. Então, da próxima vez que for a Bauru, terei de passar novamente no Bauru Chic (R. Baptista Antonio de Angelis, 1-01, fone 14-3266-1587). Vida difícil!

2 comentários:

  1. elaine bertone2/9/08 1:38 AM

    Eu sou uma legítima bauruense, por isso não posso deixar de registrar o meu apreço pela matéria que fala do verdadeiro sanduíche Bauru. Lembre-se de me convidar para lhe fazer companhia quando retornar ao Ponto Chic, porque eu que nem sou muito adepta de sanduíches, posso dizer com orgulho que sei apreciar o sanduíche da minha terra.

    ResponderExcluir
  2. E esse sanduba é dos bons Elaine. Feito com carinho. E o atendimento da casa é precioso: isso faz toda diferença. Só para ter uma idéia, o lanche chega embrulhadinho, igual aos hambúrgueres aqui da Lanchonete da Cidade, em SP. Mas o Bauru Chic nasceu primeiro! Beijos

    ResponderExcluir

Faça uma blogueira feliz: comente!